Skip to content

Suspenso… ou cancelado?

3.November. 2021
por Claudia Atas

Olá, internautas.

Este site está temporariamente suspenso. E como não poderia deixar de ser, aproveito para publicar uma nova recomendação: preste atenção nestes dois verbos, suspender e cancelar, usados indistintamente como se fossem sinônimos. Não são, mas eles vêm sendo usados como se parentes fossem.

Existe uma clara distinção entre ambos. Por exemplo, suspender um curso significa que seu retorno está previsto, que a decisão é temporária, enquanto cancelar, ao contrário, denota a intenção de que ele foi encerrado, não voltará a ser oferecido.

Por alguma misteriosa razão, privilegia-se “suspender” em detrimento de “cancelar”. Essa troca aparece em todo tipo de texto, e com tanta frequência que certamente já confundiu, irritou e prejudicou os respectivos públicos-alvo.

Imagine a reação de estudantes que contavam matricular-se para um determinado curso e se viram diante de um aviso de cancelamento. A própria surpresa reflete a distinção entre os dois verbos: “Vocês adiaram ou desistiram?”

Redatores muitas vezes subestimam a precisão das palavras. Para essa negligência, um bom exemplo para se memorizar é a pergunta: o salário foi suspenso ou cancelado? Porque, ao contrário de um atraso no pagamento, cancelar significaria, neste caso, que a empresa foi à falência, acabou, deixou de existir…

Até breve!

Deixe uma resposta

Observação: Você pode usar HTML básico nos seus comentários. O seu email não será publicado.

Assine este comentário via RSS