Skip to content

Técnicas de memorização como ferramenta para enfrentar o vestibular

26.December. 2018
por Claudia Atas

memoriaProvas que exigem um “bom português” – como nos vestibulares e no mercado de trabalho – criam ansiedade e estresse aos candidatos. Como compreender o que está difícil entrar na sua cabeça? Como aproveitar ao máximo aquilo que você sabe, mas esquece, confunde?

Acredito que erros gramaticais (entre outros) podem ser reduzidos e resolvidos com a determinação de “tirar a limpo” aquilo que você não entendeu. Se você se irrita com determinados problemas e se recusa, psicologicamente, a enfrentá-los, será difícil superá-los. Sugiro que você se inspire em um dos seus heróis e desafie-se para decifrar o enigma. Não vejo outra saída.

Também não vou omitir que, mesmo superando o problema de entender, você precisará derrubar a barreira seguinte – memorizar o aprendizado. Mas esse não é um problema tão cabeludo. Existem técnicas.

Se erramos porque não nos lembramos do que aprendemos, precisamos atacar esse obstáculo. Geralmente, ao compreendermos um problema, achamos que ele pode cair na prova – até torcemos para ele estar lá. No entanto, somos apanhados numa armadilha dolorosa: o branco, o raciocínio que escapou, as palavras que fugiram.

Há um curso que faz muito sucesso na plataforma Coursera – Aprendendo a Aprender. Ao longo do curso, a criadora e apresentadora, Barbara Oakley, insiste na importância da recordação e como praticá-la.

Pincei estas instruções porque podem ajudá-lo:

  1. “tentar lembrar os principais pontos do texto que você leu, mas, desta vez, sem olhar na página”,
  2. (não olhar o texto) “é uma das melhores formas de construir a associação em blocos (de informação)”.
  3. “recordar o assunto em lugares diferentes daquele em que você originalmente aprendeu, para que ele fique mais profundamente enraizado e acessível, independentemente do lugar em que você está. Isso pode ser muito útil em testes.”

Achei especialmente importante o que ela denomina ilusões de competência no aprendizado:

  1. “Aprenda a reconhecer quando você está se enganando sobre quanto você está realmente aprendendo o assunto”
  2. “Teste-se com frequência. Use pequenos mini testes para ver se você, de fato, está aprendendo ou se está se enganando, achando que está aprendendo quando não está. Recordar é, na verdade, uma forma de mini teste”.
  3. “Tente evitar depender demais de marcações, que podem enganá-lo, fazendo-o pensar que o material está entrando em seu cérebro, quando não está.”
  4. “Erros são bons quando se está aprendendo. Eles lhe permitem identificar ilusões de competência.”

Se você quiser saber mais sobre o Coursera e Aprendendo a Aprender, este é o  link: https://pt.coursera.org/learn/aprender?action=enroll

Deixe uma resposta

Observação: Você pode usar HTML básico nos seus comentários. O seu email não será publicado.

Assine este comentário via RSS