Skip to content

2016 na perspectiva do verbo fazer: os cinco piores abusos

27.December. 2016
por Claudia Atas

tesouraAs más construções e os erros gramaticais produzidos pela mídia e por internautas parecem não ter fim. Vamos ignorar o pessimismo e mostrar o lado bom dessa realidade: os maus exemplos  servem para mostrar onde está o erro ou a impropriedade se acompanhados de sugestões para versões corretas. É o que gosto de fazer, pois acredito que desta forma o erro deixa de ser uma dor de cabeça, um enigma, um tormento para estudantes e profissionais que dependem de uma boa redação.

Optei por cinco péssimas construções envolvendo o verbo FAZER – o verbo que domina a cabeça do brasileiro. Minha birra com O FAZER decorre do uso abusivo desse verbo, até por falta de orientação sobre alternativas melhores.

Neste artigo, você contará com soluções para cada um dos cinco exemplos do ranking que elaborei com o que considero os piores abusos cometidos com o verbo FAZER.

5º lugar : “Fazer protesto” (Estadão, 11/5/2016, capa)

Por que fazer protesto está entre os Top Five? Pela frequência do abuso. Este exemplo, um entre milhares, mostra que se deixa de lado a força do verbo principal, que deveria ser usado sem a bengala FAZER, pela força e pela concisão que confere à frase.

Em vez de

Taxistas fizeram protestos na frente da frente da Prefeitura e na Avenida 23 de Maio

Pense em usar

Taxistas protestaram na frente da Prefeitura e na Avenida 23 de Maio

Realizar paralisação (Estadão, 11/5/2016, A19), tanto quanto fazer paralisação, ignora o verbo PARALISAR, que dispensa verbo auxiliar e encurta a frase. Com ele, há mais duas vantagens: elimina-se a indesejável rima ão, ão e ganha-se clareza. Assim:

Funcionários da Universidade de São Paulo decidiram paralisar suas atividades amanhã.

4ºe 3º lugares

“fazer ação” e “fazer uma contraofensiva” (FSP 16/04/2016, pg.A9): título e lead se agarram ao verbo fazer, traduzindo mau estilo e alta dependência do verbo fazer.

O senador Aloisio Nunes viaja a Washington com a finalidade de fazer uma contraofensiva…

Fazer uma ação é, para mim, o uso mais detestável de fazer. Para os viciados nesse verbo, a maioria dos brasileiros, “fazer uma ação” parece insubstituível. Onde estaria o sinônimo? Na própria frase, na intenção com que se escreve. Descubra e memorize.

Neste caso, em vez de

Temer faz ação diplomática contra “golpe”,

Sugiro

Temer usa diplomacia contra golpe

porque também se ganham concisão e estilo.

E, no lugar de

O senador Aloisio Nunes (…) viaja a Washington para fazer uma contraofensiva de relações públicas com a finalidade de dizer a senadores e autoridades dos Estados Unidos que o impeachment contra Dilma Rousseff “não é golpe”.

Prefira

O senador Aloisio Nunes viaja a Washington para dizer a senadores e autoridades dos Estados Unidos que o impeachment contra Dilma Rousseff “não é golpe”. A contraofensiva do governo começou na quinta-feira (14), quando o vice-presidente Michel Temer ligou para Aloysio… e mostrou indignação…

As frases ficam mais claras que as do original.

2º lugar

Fazer uma fala (Folha de S.Paulo, 12/6/2016, pg. A5) quase foi para o primeiro lugar deste ranking – por sinal, aparece ao lado de replicar o discurso, o sinônimo inexistente de repetir discurso, como discuti, em junho passado (A influência da língua web…). Está na segunda colocação porque encontrei algo pior.

Em vez do tenebroso fazer uma fala, como se atreveu o redator,

A previsão é que Dilma faça uma fala na Assembleia Legislativa de João Pessoa…

opte por uma construção de melhor qualidade — simples e mais precisa:

A previsão é que Dilma fale na Assembleia Legislativa de João Pessoa…

A previsão é que Dilma discurse…

1º lugar

No mesmo mês de junho que publicava fazer uma fala, a Folha de S.Paulo desafiou a clareza da língua e o bom gosto da escrita, enfiando goela abaixo de seus leitores esta criação espantosa: fazer implicações (FSP 25/6, pg. A6).

Esse verdadeiro “neologismo de expressão” ganha o Top Five com louvor:

Em sua delação, Cerveró (…) faz implicações a integrantes do PMDB (…)

O simples uso do verbo implicar é uma boa opção para eliminar o fazer. Veja:

“Em sua delação, Cerveró (…) implica integrantes do PMDB (…)

Outras alternativas:

“Em sua delação, Cerveró (…) revela detalhes que implicam”,

(…) “menciona fatos que implicam”, etc. etc.

Melhor ainda seria modificar o início da frase. Veja como estas sugestões tornam a frase mais direta, precisa, concisa e apropriada:

As informações obtidas na delação de Cerveró, (…) implicam vários integrantes do PMDB…

A delação de Cerveró (…) comprometeu integrantes do PMDB…

Espero que os exemplos e considerações deste post ajudem os que precisam ou gostam de escrever bem a… escrever melhor em 2017! Certamente, ajudarão os que prestarão provas ao longo do próximo ano. Até lá!

  1. Gislaine permalink
    January 11, 2017

    Ótimas sugestões! Vou compartilhar já com meus ex-alunos.

Deixe uma resposta

Observação: Você pode usar HTML básico nos seus comentários. O seu email não será publicado.

Assine este comentário via RSS